- Casa e Decoração

Objetos guardados ganham nova utilidade

Quanta coisa a gente guarda por anos sem dar uma utilidade? No momento em que estamos vivendo, quando muitos estão sem poder sair de casa, em função da pandemia provocada pela covid-19, a sugestão é resgatar o que está em desuso para dar uma renovada na decoração.

Casas e apartamentos, transformados em home office às pressas, precisam ser adaptados para a criação de cenários para as videochamadas e videoconferências com as quais estamos tendo de nos acostumar.

E, já que a ordem é renovar, aqui vão três dicas para reaproveitamento de objetos que podem estar esquecidos em algum canto da casa.

Berimbau vira porta-medalhas

O berimbau que meu filho ganhou de presente ficou um período sem função, quando a cabaça quebrou e só restou a estrutura formada pela verga e o arame. O objeto tem um valor sentimental, e a saída foi dar um fim igualmente nobre ao instrumento.

Medalhas que estavam guardadas em uma gaveta foram parar em um antigo berimbau. Foto: Resenhar

Medalhas que o Fernando conquistou na infância e na adolescência, e que estavam guardadas em uma gaveta à espera do quadro apropriado que nunca tive tempo de mandar fabricar do jeito que gostaria, encontraram no velho berimbau um suporte original.

Tudo bem que as medalhas ficam empoeiradas, o que dá trabalho para limpar, mas o colorido das fitas e até o barulho das peças de metal, quando entra um vento mais forte pela janela, animam o ambiente e me fazem lembrar de cada vez que ele chegava em casa com uma destas no peito.

Garrafa de suco de uva é transformada em vaso

Algumas garrafas vêm com um adesivo que é difícil de retirar. Mas, com paciência e habilidade, é possível transformar uma garrafa de suco de uva em um objeto de decoração. E, já que não dá para sair a toda hora para comprar flores, as de plástico cumprem a função de dar um toque colorido ao ambiente.

Garrafa de suco ganha nova função ao virar vaso para flores artificiais. Foto: Resenhar

Vidro de compotas armazena tampinhas para doação

Sempre guardei as tampinhas em sacolas plásticas, até o dia em que me dei conta que o vidro de compotas nunca seria usado, porque não sei fazer compotas. Também desisti da ideia de usá-lo para guardar mantimentos, como feijão, por exemplo. Motivo: fora da embalagem original, fica difícil saber quando termina o prazo de validade. As tampinhas ficam no vidro até que ele esteja cheio, depois vão para uma sacola e então encaminhadas para doação. Enquanto isso, dão um ar lúdico à bancada da cozinha. (Por Fabíola Brites)

Tampinhas que serão doadas para reciclagem são acondicionadas em vidro de compota. Foto: Resenhar
Temperos perfumam o ambiente
Olha o vidro de compota e a garrafa, que já apareceram em outro post por aqui. Foto: Resenhar

Matérias Semelhantes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *