Barcos na Dinamarca
- Destaques, Lugares

Morar na Dinamarca

Viver por cinco anos na Dinamarca foi uma das melhores experiências pelas quais a brasileira Caroline França diz ter passado. Aqui ela conta como é morar no segundo país mais feliz do mundo, de acordo com o World Happiness Report, relatório divulgado em março deste ano nas Nações Unidas. O ranking leva em conta seis fatores: expectativa de vida, apoio social, corrupção, renda, liberdade e confiança e expectativa de vida saudável. O primeiro lugar ficou com a Finlândia. O Brasil ocupa a 32ª posição, entre 156 países.

Por Caroline França

Morar por cinco anos na Dinamarca foi uma das melhores experiências que vivi. Logo que cheguei, percebi algumas diferenças em relação à cultura, mas, nesse aspecto, não tive dificuldades de me adaptar. Afinal, quem tem dificuldade de se adaptar em um país que está entre os que têm as pessoas mais felizes do mundo?

No início, eu não entendia como poderiam ser tão felizes morando em um país em que a maior parte do ano é frio e sem sol. Inclusive, logo que cheguei, precisei passar a tomar vitamina D, pois, sem sol, o meu organismo estava ficando com deficiência dessa vitamina.

Caroline na Dinamarca
Na Dinamarca, a maior parte do ano é frio e sem sol, mas a oferta de serviços públicos de qualidade compensa e proporciona ótima qualidade de vida (Foto: Arquivo pessoal)

Com o tempo, descobri o motivo pelo qual os dinamarqueses são tão felizes…

A falta de sol não é problema, pois eles têm uma regra básica: não existe tempo bom ou tempo ruim, o que existe é roupa apropriada. Estar nevando não é motivo para as crianças não brincarem na rua, simples assim.

Acredito que outro motivo de ver tantas pessoas satisfeitas é o fato de o sistema político funcionar perfeitamente. É verdade que os impostos são altíssimos, em compensação, esse valor retorna todo para a comunidade.

Universidade gratuita

Não há necessidade de plano de saúde. Você pode sair em qualquer hora do dia ou da noite a pé, sem medo de ser assaltado. As escolas públicas são de alta qualidade e todos os dinamarqueses ganham uma bolsa de estudo enquanto estão na faculdade, além de a mensalidade ser gratuita.

Os que moram em cidades no sul da Dinamarca, que era o meu caso, ainda podem aproveitar os finais de semana para passear no país vizinho, a Alemanha.

Idioma é difícil

O que eu tive mais dificuldade foi com a língua dinamarquesa. Entrei no curso, mas fiz somente o básico. Na época, preferi melhorar o meu inglês, já que trabalhava em uma universidade onde o idioma predominante era a língua inglesa.

Além disso, a maior parte dos dinamarqueses fala inglês, pois eles são alfabetizados nas duas línguas, então, não tive problemas de comunicação. Mas, sinceramente, eu acho que aprender a língua é essencial para a integração na comunidade e, de certo modo, me arrependo de não ter seguido fazendo o curso.

Bicicletas para todos

Para finalizar, eu não poderia deixar de falar sobre as bicicletas.

É impressionante a quantidade de bicicletas que circulam pelas ruas. Mesmo depois de cinco anos morando lá, eu ainda ficava admirando os pais levando seus filhos de bicicleta para a escola. Os menores iam em um carrinho puxado pela bicicleta, e os maiores iam pedalando a sua própria bici. A partir de 5 ou 6 anos, as crianças já começam a ir sozinhas de bicicleta para a escola, isso é qualidade de vida.

 

* Caroline França é gaúcha, natural de Santa Cruz do Sul. Profissional de marketing, depois de morar na Dinamarca, mudou-se com a família para a Califórnia, nos Estados Unidos.

Dinamarca

 

Matérias Semelhantes

1 thought on “Morar na Dinamarca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *