- Comportamento, Educação, Empreendedorismo, Esporte

É possível aprender a jogar bola na fase adulta?

A iniciativa de oferecer aulas de futebol feminino na PUCRS, que começam agora em março, é das mais louváveis. Não apenas pela prática do futebol, mas por oportunizar que mulheres na fase adulta possam aprender uma modalidade esportiva.

Por Fabíola Brites

Em geral, se a pessoa não aprende a praticar um esporte na infância ou adolescência, fica mais difícil na fase adulta. Para mulheres, então, a situação é um pouco mais complicada.

Na fase adulta, quem já sabe os fundamentos, conceitos e regras de uma modalidade, tem apenas que encontrar o local onde praticar. Já para quem quer aprender, as oportunidades são bem menores.

Quem ensina?

Em se tratando de esportes coletivos, então, fica quase impraticável. As mulheres, além de terem de equilibrar a agenda com estudos, trabalho e filhos – para aquelas que têm, principalmente os bem pequenos, precisam encontrar parceiras, formar um time, alugar quadra, os horários entre todas as integrantes do grupo têm de coincidirem, e têm ainda encontrarem quem está disponível para ensiná-las… Ufa! É preciso quase que uma conjunção astral perfeita.

Em geral, há equipes competitivas, onde a seleção é feita em função da habilidade das atletas. E como fica para aquelas que não querem competir, querem só bater uma bolinha, mas antes precisam aprender?

Claro que não é regra, algumas conseguem, há escolas e clubes que oferecem determinadas modalidades, mas ainda é de difícil acesso para a maioria.

Na fase adulta, as oportunidades são bem menores para quem quer aprender a jogar futebol. Foto: Keith Johnston por Pixabay

Oportunidade para profissionais

Quando muito se fala em inovação e empreendedorismo, penso que esta é uma excelente oportunidade para profissionais de educação física: ensinar uma modalidade esportiva para adultos, principalmente mulheres.

Poder aprender a jogar vôlei, futebol, basquete ou outro esporte na quadra do condomínio à noite, depois do trabalho, ou no fim de semana, pode parecer a alternativa perfeita para quem já pagou a mensalidade da academia durante meses e nunca apareceu por lá.

Com a população vivendo cada vez mais e com a consciência da importância da prática de uma atividade física em todas as fases da vida, iniciativas como esta oferecida pela universidade gaúcha devem ser elogiadas.

Além de despertar os próprios profissionais para um mercado com necessidades dos seus serviços, utiliza o esporte para incentivar o protagonismo feminino no esporte e na vida.

Matérias Semelhantes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *