- Bem-viver, Destaques

Dieta da moda: fuja dela e seja feliz

Neste artigo, a nutricionista Elana Stein explica que, ao contrário do que muitos pensam, estar acima do peso não é simplesmente uma escolha do indivíduo, tampouco resultado de preguiça ou desleixo com o próprio corpo. Ela também dá dicas sobre como incluir uma alimentação saudável na sua vida e adquirir novos hábitos

Por Elana Stein*

Entra ano, sai ano, e as promessas relacionadas à mudança de composição corporal ou hábito alimentar (sejam elas emagrecer, ganhar massa muscular ou melhorar a qualidade da alimentação) ainda estão entre as mais presentes na boca (e nos pensamentos) do povo! O que não é nenhum espanto, tendo em vista os padrões de beleza impostos pela sociedade.

De fato, mexer com a alimentação das pessoas não é tarefa fácil. Ao contrário do que muitos pensam, estar acima do peso não é simplesmente uma escolha do indivíduo, tampouco resultado de preguiça ou desleixo com o próprio corpo.

Fatores genéticos, ambientais e psicológicos estão envolvidos na complexa cascata de acontecimentos que levam o indivíduo ao ganho de peso. Dietas da moda acabam se tornando parte da vida das pessoas que querem emagrecer, formando um ciclo vicioso: realiza a dieta da moda, emagrece, volta a comer normalmente, ganha peso, então procura outra dieta da moda… e assim por diante.

Dietas da moda podem acabar levando a um ciclo vicioso

A mídia deixa de atuar a favor da saúde quando define estratégias de emagrecimento sem considerar a individualidade de cada um, aplicando uma regra geral para uma população tão plural quanto a brasileira.

Para que este ciclo se encerre e o emagrecimento seja efetivo, é necessário procurar um profissional habilitado para lidar com tais questões (nutricionista) para que ele (a) faça uma avaliação adequada do seu organismo e dos seus hábitos de vida, e assim encontrar a melhor maneira de adequar uma alimentação saudável ao seu dia a dia.

É preciso encontrar a melhor maneira de incluir alimentação saudável ao seu dia a dia

Como disse anteriormente, modificar a maneira que as pessoas se alimentam não é tarefa simples: cada organismo trabalha de maneira diferente; cada indivíduo possui uma carga genética, um estilo de vida e hábitos alimentares diferentes – e justamente, por sermos tão diferentes assim, é que as dietas da moda (que são iguais para todo mundo) não serão a garantia de uma perda de peso saudável e duradoura.

No entanto, como precisamos ter um ponto de partida, aí vão algumas dicas para que em 2018 você realmente faça a diferença na sua saúde, e por consequência, na sua vida:

  • Crie metas e objetivos plausíveis, que possam ser cumpridos a curto prazo. Pensar “quero terminar o ano com 20kg a menos” é uma meta ousada – e não quero desestimula-lo (a) a cumpri-la, no entanto aconselho que pense em um dia de cada vez. Metas a longo prazo são importantes sim, mas mais importante ainda é dar um passo de cada vez.
  • Comece a alterar coisas simples em sua rotina alimentar:

Aumente o consumo de frutas e verduras. Faça isso incluindo-as em todas as refeições do seu dia (frutas nos lanches e verduras no almoço e jantar é um bom modo de começar);

  • Dê preferência aos alimentos integrais (arroz, macarrão, pão) e carnes magras;
  • Beba mais água e evite ao máximo refrigerante e sucos artificiais;
  • Não exagere no óleo e nas gorduras (nem no azeite de oliva!), pois apesar de importantes para a saúde, são fontes de calorias, o que pode atrapalhar o emagrecimento e o funcionamento normal do organismo. Use com moderação.
  • A fim de preservar a saúde cardiovascular, opte por óleos vegetais (soja, milho, canola, girassol, oliva) na hora de cozinhar. Banha de porco e manteiga não são indicadas.
  • Prefira alimentos in natura (frutas, vegetais, grãos, carnes, ovos, leite) aos industrializados;
  • Preste atenção no que está comendo. Na hora de se alimentar, prefira sempre uma boa companhia, evite distrações como televisão, celular, tablet, etc. Mastigue devagar os alimentos, e coma até sentir-se SATISFEITO.
  • Mexa-se mais! Não passe tanto tempo sentado… o sedentarismo não só atrapalha o emagrecimento, como também faz mal à saúde. Converse com um profissional da educação física e com seu médico quanto à prática de atividade física.
  • E por último, mas não menos importante, procure um nutricionista para orientações individualizadas.

Desejo a vocês um 2018 cheio de alegrias e de metas cumpridas! Grande beijo

*Elana Stein é nutricionista formada pela Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre e mestranda pela mesma instituição

Matérias Semelhantes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *