- Lugares, Misturados, Superdicas

Carros de cinema em rota gaúcha

Rodovia entre Gramado e Canela tem clima hollywoodiano. E o que torna o caminho interessante é o Circuito Dreams, que reúne o Hollywood Dream Cars, o Harley Motor Show e o Salão Super Carros.  É cada máquina mais fantástica que a outra! E dá para pilotar, acredite!

Por Fabíola Brites

A estrada que liga Gramado e Canela é a rota para quem gosta de carros e motos hollywoodianos. Motoristas e pilotos, principalmente mulheres, já perceberam isso. Mas nada a ver com altas velocidades, afinal, faixas de pedestres indicam que por ali é preciso aliviar o pé do acelerador.

O que torna a estrada interessante é o Circuito Dreams, que reúne o Hollywood Dream Cars, o Harley Motor Show e o Salão Super Carros. O programa merece estar no roteiro de todo visitante. É cada máquina mais fantástica que a outra! E dá para pilotar, acredite!

O passeio agrada até quem não tem habilitação. Foi o que descobri conversando com Natália Mele Silva, de 20 anos. Encontrei a estudante de psicologia no paraíso das Harley Davidson. Na companhia da mãe, Silvana Mele, a universitária experimentava bonés na lojinha que fica junto ao salão.

Logo que a vi, preferi não puxar papo, ela estava entretida nas compras. Não imaginava que nos encontraríamos na próxima parada, o Super Carros. Natália, já ostentando seu boné da icônica marca de motos, falou que gosta de veículos, embora ainda não veja necessidade para aprender a conduzir.

Assim como a jovem de São Paulo e sua mãe, que passaram sete dias na Serra Gaúcha, a rota atrai cada vez mais mulheres que querem ver de perto máquinas de cinema.  Algumas, inclusive, recordam a infância e o automóvel no qual passeavam com os pais.

Sugiro adquirir o passaporte que inclui o Dreamland Museu de Cera e o Vale dos Dinossauros. Mas reserve tempo e programe uma pausa entre os passeios, pois há muito para ver. Quem vai com crianças tem a sensação de estar em um parque sobre rodas. Pequenos e adultos ficam deslumbrados.

Motos cobiçadas

Comecei o circuito pelo Harley Motor Show. O museu-bar remete aos cassinos de Las Vegas, com espelhos, luminosos e fotos do Elvis. Aliás, mesmo que você não seja fã dele, guarde este nome, o Rei do Rock e sua ligação com a história do mundo automotivo vai aparecer em destaque mais adiante.

São mais de 20 motos junto às mesas e poltronas. Um convite a selfies tomando um chope da chopeira encomendada da Bélgica. A moto mais antiga é de 1919. Outra que chama atenção é a Panhead, de 1954, usada no clássico do cinema “Easy Rider – Sem Destino”.

Além de exemplares clássicos e atuais da marca de motos mais cobiçada do mundo, há uma loja da grife onde os itens femininos não param nas araras. “Tem mulher que vem e compra ‘tudo’ para ela, já os homens, nem tanto”, me disse a vendedora Fabiana Güntzel. A camiseta baby look é o xodó delas.

Cardápio de carros

No Super Carros é onde dá para pegar no volante. Qual seu sonho desde que tirou a CNH? Conduzir uma Ferrari, uma Lamborghini ou um Porsche? Ou prefere Camaro? O cardápio é farto. Os preços dependem da quilometragem a ser rodada e são compatíveis com as máquinas, mas a experiência compensa.

E ainda dá para registrar tudo em vídeo. Mas só de ver as máquinas entrando e saindo do salão já é um show e tanto. O Cadillac Limousine DTS, com nove metros de comprimento, bar e luzes de led é outra opção para um passeio inesquecível pela região das hortênsias.

O salão tem mais de 20 carros, incluindo cinco gerações de Ferrari. Na entrada, um gigante da saga Transformers indica que a visita agrada todas as idades. Não tem quem não queira uma foto ao lado do robô. No segundo andar, simuladores e games completam a atração.

Trilha de cinema

Carros de cinema que encantaram gerações estão no Hollywood Dream Cars. Muitos ficaram conhecidos pelos filmes exibidos na Sessão da Tarde, como os do Elvis Presley, apaixonado por automóveis. Garoto-propaganda da Cadillac, o cantor é a trilha sonora do lugar que está completando 20 anos neste mês.

Desde que foi inaugurado, por lá só toca Elvis. Fora Graceland, casa do músico e um dos locais mais visitados dos Estados Unidos, acho que nenhum outro lugar do mundo reproduziu tantas vezes nas últimas duas décadas o DVD “Aloha from Hawaii”. O show do cantor pode ser visto em uma tela no salão.

“Recebemos pessoas que visitaram o museu há dez, 15 anos e, quando retornam, lembram do Elvis e dizem: ‘Nossa, é a mesma música que a gente escutou tanto tempo atrás!'”, disse Cassiano da Silva Paloschi, encarregado dos automóveis e do atendimento ao público.

Assim como ele, funcionários, que sabem “de cor e salteado” o repertório, dão aula sobre o Rei do Rock. No Dream Cars ainda dá para tirar fotos vestido como Elvis em uma Cadillac rosa champanhe. O modelo é semelhante ao que o cantor mandou fazer para a mãe com a cor do vestido que ela gostava.

A peça mais antiga é uma Cadillac Coupê Cabriolet 1930, que ficou conhecida como “banco de sogra”, por causa do assento atrás, sem tapume. “Se dizia que a sogra ia ali, ao relento”, explicou Cassiano. Fora a brincadeira sexista, elas são uma parte considerável do público do museu.

“Tem muita mulher que vem sozinha e adora. E sabem detalhe por detalhe desses automóveis. Recordam o pai, lembram do passado. Muitas voltam à infância e relembram o automóvel que o pai tinha e as levava para passear”, explicou Cassiano.

Não cheguei a andar em uma Cadillac na infância, mas o clima de cinema do lugar e a voz do Elvis durante a visita ao museu me fizeram viajar no tempo.

* Este texto foi publicado originariamente no site Autos Giros, do qual a autora é fã e onde manteve a coluna Única Dona. Para quem quiser saber tudo sobre o mundo automotivo, recomendo dar uma passada por lá.

Galeria de fotos: Circuito Dreams

 

Matérias Semelhantes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *